Passei mal e fui ao médico, disse a ele sou miastênica, ele respondeu: O QUE É ISSO?


quinta-feira, 16 de junho de 2016

Corticoide pode causar Catarata e Glaucoma

Quando o medicamento é necessário, acompanhamento com oftalmologista é única forma de impedir progressão da doença




Os corticoides são medicamentos anti-inflamatórios potentes usados em diversas doenças como Miastenia Gravis, Artrite Reumatoide, alergias, inflamações e diversas doenças.Os corticoides mais usados na prática médica são prednisona, prednisolona, hidrocortisona, dexametasona, metilprednisolona.

Mas é preciso cuidado com os efeitos colaterais. Quem faz uso constante de corticoides tem risco de desenvolver glaucoma, doença que sem o devido tratamento pode deixar a pessoa completamente cega em um período de dez anos. O glaucoma não tem cura, mas tem controle. Por isso a importância do rígido cumprimento do tratamento.

Glaucoma : é uma doença ocular causada principalmente pela elevação da pressão intraocular que provoca lesões no nervo ótico e, como consequência, comprometimento visual. O uso dos corticoides causa aumento da pressão ocular podendo levar ao glaucoma. Muitas vezes a pressão ocular volta ao normal após o paciente interromper o uso dos corticoides mas em raros casos a pressão ocular pode continuar elevada, necessitando o uso de alguns colírios específicos para abaixar e controlar a pressão ocular.
Da mesma forma que na catarata, todas as formas de administração dos corticóides (oral, spray nasal e colírios) podem aumentar a pressão ocular.

Sintomas Glaucoma
No tipo mais comum, o glaucoma de ângulo aberto, não há sintomas. A visão é normal até que a doença tenha atingido uma fase muito avançada. A pessoa não percebe que a doença está progredindo. Algumas vezes, pode relatar que sente um pouco de dor de cabeça, mas nada além disso. Geralmente, o diagnóstico é feito num exame de rotina, quando ela vai ao oftalmologista para trocar os óculos, por exemplo.
Glaucoma é uma doença traiçoeira, porque é assintomática no início. Só provoca baixa visual em fase mais avançada.

Catarata: A catarata é uma opacidade do cristalino (lente natural do olho). Para pessoas que têm catarata tem a visão nublada, como se olhassem por uma janela embaçada ou enevoada. A forma mais comum é a relacionada com a idade, mas alguns medicamentos, podem afetar o cristalino humano e desenvolver catarata: o exemplo mais comum é a cortisona.

Sintomas de Catarata
Nem todas as cataratas prejudicam a visão ou afetam a vida diária. Para aquelas que o fazem, os sintomas comuns incluem:
Visão nublada, confusa ou nebulosa, Visão dupla
Visão com brilho de lâmpadas ou do sol
Dificuldade de dirigir à noite devido ao brilho dos faróis
Mudanças frequentes na prescrição de óculos
Melhoria da visão de perto que, em seguida, fica pior
Dificuldade em fazer as atividades diárias por causa de problemas de visão.



Caso você use corticoesteroides, não interrompa o uso sem antes conversar com seu médico. Mas converse com ele sobre esses possíveis efeitos colateral.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Miastenia debilidade e fraqueza extrema


Miastenia somente quem tem sabe como é.

* Queda de uma ou ambas as pálpebras (ptose);
* Desdobramento das imagens ou visão dupla (diplopia);
* Fraqueza dos músculos que mobilizam os globos oculares (estrabismo);
* Dificuldade em falar, com voz nasalada (disfonia);
* Dificuldade em engolir, com regurgitação dos líquidos pelo nariz (disfagia);
* Fraqueza nos músculos da mastigação e tendência para ter a boca aberta;
* Fraqueza nos músculos do pescoço com queda da cabeça para a frente;
* Fraqueza dos músculos dos membros superiores e/ou inferiores;
* Fraqueza dos músculos das pernas com dificuldade para subir degraus ou andar;
* Fraqueza dos músculos dos braços com dificuldade para elevar os braços para pentear o cabelo;
* Fraqueza dos músculos respiratórios, o que representa um perigo significativo.
A fraqueza muscular pode se desenvolver durante dias ou semanas ou até mesmo manter-se no mesmo nível durante longos períodos de tempo (anos).



segunda-feira, 23 de novembro de 2015

MG - Porque os Corticoides Sintéticos engordam

O corticoide é um medicamento derivado do hormônio cortisol, um tipo de hormônio produzido naturalmente pelo nosso corpo. Os medicamentos corticoides, são versões sintéticas desse hormônio, mas atuam no organismo de maneira, só que com uma potência maior.
Os  corticoides sintéticos os mais comuns são,  a cortisona, hidrocortisona, prednisona, prednisolona, betametasona, dexametasona. Com a exceção da hidrocortisona, todos os demais corticoides sintéticos são mais potentes que o cortisol natural. Alguns chegam ser até 30 vezes mais eficiente que nosso hormônio natural. 
Embora sejam muito úteis para tratamento de doenças, o uso por períodos prolongados costuma estar associado a alguns efeitos colaterais. De um modo geral, quanto maior a dose e o mais longo for o tratamento, maiores serão as alterações.

O ganho de peso é um efeito colateral comum de corticoides sintéticos, a quantidade de ganho de peso varia de indivíduo para indivíduo. Além de causar ganho de peso,  corticoide sintético, também leva a uma redistribuição de gordura corporal para lugares que são indesejáveis, particularmente a face, de trás do pescoço, e abdômen.

O cortisol também é conhecido como o “hormônio do estresse”, pois permite que o corpo fique pronto para reagir a situações estressantes. 
Em situações de estresse, nosso corpo entende que estamos passando por um período difícil, e que talvez não tenhamos novamente alimento disponível para nos fornecer energia. O cortisol liberado nessas situações é responsável então por acumular gordura, para garantir que não falte energia para nossas funções. Dessa maneira, na presença de cortisol nosso metabolismo diminui e passamos a acumular quase tudo que comemos sob a forma de gordura.
Quando passamos a fazer uso de corticoide em maiores quantidades, como é o caso na utilização de medicamentos corticoides, nosso organismo passa a reagir da mesma maneira, aumentando nosso estoque de gordura e alterando sua distribuição pelo nosso corpo.

Além de atuar na resposta ao estresse, o cortisol também é responsável por regular o metabolismo, a nossa função imune e também por reduzir inflamações.

Aumento das taxas de açúcar no sangue e maior apetite

O corticoide tem a capacidade de elevar os níveis de glicose no sangue, o que pode alterar o apetite. Quando as taxas de glicose no sangue estão altas, há uma maior liberação de insulina, que por sua vez retira rapidamente todo o excesso de açúcar em circulação. Quando há um excesso de insulina e não há mais açúcar para ser enviado para as células, o cérebro recebe uma mensagem para comer mais, para que a insulina possa trabalhar. Na prática, isso significa mais fome.

Aumentando a insulina - A insulina tirar o açúcar do sangue transforme em energia nas células. Se o excesso de energia que não for utilizado pelas células será estocado, principalmente, na forma de gordura. E quanto mais insulina houver, maior será o acúmulo de gordura.
Ou seja, o corticoide engorda também por aumentar a liberação de insulina, que por sua vez passa a estocar mais gordura. Outro efeito colateral da insulina é bloquear a sinalização da leptina, o hormônio que avisa para o cérebro que já estamos satisfeitos após uma refeição. Quando o cérebro não recebe corretamente o sinal da leptina, você demora a se sentir saciado e continua comendo.

Retenção de líquidos
O corticoide está envolvido no mecanismo de regulação de água, sódio e outros eletrólitos em nosso corpo, e por isso o uso prolongado de medicamentos à base de corticoides pode causar retenção de líquidos.

Outros efeitos colaterais do corticoide:
Aumento da pressão arterial;
Osteoporose;
Insuficiência da glândula adrenal;
Catarata;
Úlcera;
Distúrbios de humor;
Hiperglicemia;
Maior risco de infecções;
Insônia;
Acne;
Síndrome de Cushing (condição que altera a redistribuição de gordura no rosto);
Fraqueza muscular.

O corticoide pode gerar problemas com o ganho de peso e aumente de apetite, mas o paciente não deve,  simplesmente culpar o medicamento e começar a comer de tudo que vê pela frente. É preciso manter uma disciplina maior em relação a alimentação e evitar exageros.
É importante tentar se alimentar a cada três horas, para evitar comer demais nas refeições. 
Dar preferência a alimentos que mantêm a saciedade por mais tempo e que são menos calóricos (legumes, frutas, proteína magra).
Diminuir o sal e prestar atenção na quantidade de sal e sódio que vem nos alimentos (evite embutidos e enlatados, eles possuem grande quantidade de sódio), uma alimentação com pouco sódio e bastante potássio ajuda a diminuir a retenção de líquidos causada pelo uso de corticoide. Para obter mais potássio, consuma mais verduras escuras, abóbora, feijão branco, abacate e cogumelos.

Se possível, fazer atividade física, é importante se mexer, caminhadas, natação, bicicleta,  qualquer atividade, mesmo que seja leve. O médico pode ajudar, indicando atividades mais adequadas para cada paciente.



Referência: 
http://www.mundoboaforma.com.br/corticoide-engorda-efeitos-colaterais-e-dicas/
http://www.hopkinsvasculitis.org/vasculitis-treatments/prednisone/


sábado, 10 de outubro de 2015

Baixo nível de vitamina D pode contribui para problemas de tireoide

Os corticoides diminuem a absorção intestinal de cálcio e aumenta a excreção renal de cálcio, ou seja, todos os corticoides aumentam a perda de cálcio.


O colecalciferol (vitamina D) que produzimos na pele, é distribuído pelo sangue para todas as células do corpo, tem diversas propriedades, é fundamental para a saúde dos ossos, mas também age no coração e cérebro. Além disso, é eficaz no fortalecimento do sistema de defesa do organismo, auxiliando no combate de doenças, pois tem o poder de modular o sistema imunológico.


Pesquisadores da UCLA (University of California, Los Angeles)  tentaram mostrar que a baixa vitamina D faria um problema auto-imune da tireoide piorar. Fizeram um experimento que foi baseado na ideia de que a vitamina D tem um efeito atenuante sobre uma resposta imune excessiva e inadequada em muitas áreas do seu corpo.  Em primeiro lugar, descobriu-se que a falta de vitamina D contribui para a possibilidade de hipotireoidismo. Em segundo lugar, que muitas substâncias são susceptíveis de agravar a tireoide, principalmente, se há a falta de vitamina D. Por exemplo, muitos irritantes químicos no ambiente irritam a glândula tireoide, como perclorato e flúor. Os que tem falta de vitamina D são mais propensos a ser afetados negativamente por eles.
Isto pode ser parte da razão por que tantas pessoas se sentem metabolicamente pior e ganham peso nos meses de inverno com menos sol (o sol produz vitamina D).  

Vários estudos estabeleceram uma relação entre baixos níveis de vitamina D e doenças autoimunes da tireoide. Um estudo foi publicado na revista Cellular & Molecular Immunology em 2011.
Nesse estudo, os pesquisadores recrutaram 50 pacientes com distúrbios da tireoide auto-imune (principalmente tiroidite de Hashimoto), 42 pacientes com distúrbios da tireoide não auto-imunes e 98 indivíduos saudáveis. Para cada um destes participantes, os pesquisadores mediram os níveis de vitamina D no soro, os níveis de anticorpos antitireoidianos e funções da tireoide.
Os resultados deste estudo mostraram que a deficiência de vitamina D foi mais comum em pacientes com desordens autoimunes da tireoide (quase 3 vezes mais comum). Mesmo que está deficiência fosse também comum entre os pacientes que sofrem de distúrbios da tiroide não auto-imunes, a prevalência foi menor do que no grupo de pacientes com distúrbios da tiroide auto-imunes.
Além disso, a deficiência de vitamina D também foi fortemente correlacionada com anticorpos antitireoidianos e funções pobres da tireoide.

Os resultados deste estudo indicam que:
  • Baixos níveis de vitamina D pode causar distúrbios da tireoide especialmente desordens autoimunes da tireoide.
  • Os baixos níveis de vitamina D aumenta a quantidade de anticorpos antitroide libertados no corpo. Por conseguinte, a vitamina D suprime a produção de anticorpos que podem atacar a glândula da tiroide e reduzir as funções da tiroide.
A vitamina D é produzida pela pele quando exposta a luz solar. A exposição à luz solar natural é a estratégia mais simples e mais fácil para obter a vitamina D, de uma forma mais pobre também é possível obter a vitamina através da alimentação (fígado, ovos, salmão, sardinha, shitake, óleos de peixe, leite e seus derivados), através de suplementos de vitamina D (contidos em alguns alimentos como leite, soja, sucos, cereais) mas principalmente através da exposição ao sol, pois, os raios penetram na pele formando a vitamina D3.

Tome o sol até às 10 horas da manhã e após às 16 horas, 15 minutos por dia já é suficiente e SEM protetor solar. O sol tem que incidir diretamente na pele. 
Com 15/20 minutos por dia é possível produzir até 10 mil UI, coisa que nenhum alimento é capaz de fazer.

ENTENDA MAIS SOBRE A TIREOIDE

Localizada na base da garganta, a glândula da tiroide em forma de borboleta ajuda a manter o equilíbrio global do corpo. Seus hormônios afetam muitos sistemas e funções, incluindo:
  • Metabolismo
  • O desenvolvimento do cérebro
  • Respiração, coração e função do sistema nervoso
  • A produção de glóbulos
  • A força muscular e óssea
  • Temperatura corporal
  • Os ciclos menstruais
  • O ganho de peso e perda
  • Os níveis de colesterol
  • Hidratação da pele
A tireoide ajuda a determinar como metabolizar comida, como armazenar e utilizar a energia, como pensar, falar, dormir e muito mais! Portanto, faz sentido que, quando sua tireoide não está funcionando corretamente, sua vida pode parecer significativamente fora de ordem.
O processo de conversão de hormônio da tiroide é uma série de eventos. Quando estão baixos na corrente sanguínea, a parte do cérebro conhecida como hipotálamo, envia uma mensagem para a glândula pituitária, a glândula pituitária interpreta a mensagem e pede a glândula tiroide para produzir mais hormônios, quando os hormônios da tireoide estão muito altos, os sinais do hipotálamo e da hipófise tornam-se muito mais silenciosos até que seus hormônios da tireoide fiquem equilíbrio novamente.

As principais causas de hipotireoidismo e hipertireoidismo são as doenças autoimunes (aquelas em que o organismo indevidamente produz anticorpos conta ele mesmo.
O hipertireoidismo é um problema no qual a glândula da tireoide produz hormônios em excesso. Aqui a glândula é hiperativa, ou seja, trabalha em excesso.

O desencadeamento do hipertireoidismo pode ocorrer devido ao excesso de iodo que pode estar presente em alguns medicamentos, ao surgimento de nódulos na glândula, ao funcionamento mais acelerado da tireoide ou à ingestão dos hormônios da tireoide. Nervosismo, ansiedade e irritação, assim como mãos trêmulas e sudoréticas podem ocorrer em pessoas com hipertireoidismo. A função da tireoide baixa, ou hipotireoidismo, é a forma mais comum de desequilíbrio da tireoide. Os sintomas podem incluir fadiga, falta de concentração, constipação, ganho de peso, problemas de pele, seca, áspera, queda de cabelo e até mesmo depressão.

Quando seus hormônios da tireoide são muito baixos para apoiar suas atividades diárias, ela é conhecida como hipotireoidismo. Hipotireoidismo pode causar fadiga severa e perda de energia, pele seca, as mudanças de cabelo, inchaço geral, constipação, intolerância ao frio, e muito mais. Ele também pode aumentar os níveis de colesterol e agravar problemas como PMS, irregularidades menstruais, e seios fibrocística.

Um dos problemas mais frequentes da tireoide são os nódulos, que não apresentam sintomas. Estima-se que 60% da população brasileira tenha nódulos na tireoide em algum momento da vida. O que não significa que sejam malignos. Apenas 5% dos nódulos são cancerosos. O reconhecimento deste nódulo precocemente pode salvar a vida da pessoa e a palpação da tireoide é fundamental para isso. Este exame é simples, fácil de ser feito e pode mudar a história de uma pessoa. Uma vez identificado o nódulo, o endocrinologista solicitará uma série de exames complementares para confirmar a presença ou não do câncer.

Hipercalcemia

A hipercalcemia é a alta concentração de cálcio no sangue. Os sintomas aparecem lentamente como urinar demais, ter muita sede, enjoos, falta de apetite e o intestino preso. Em casos severos, o problema também acarreta fraqueza muscular, hipertensão e afeta o sistema neurológico, dificultando a concentração e causando confusão mental.

Por isso é sempre muito importante, não se auto medicar, consulte um médico antes de iniciar a ingestão de qualquer medicamento ou suplemento alimentar.



Referências: 

http://www.wellnessresources.com/health/articles/low_vitamin_d_contributes_to_thyroid_problems/
http://www.progressivehealth.com/the-role-of-vitamin-d-in-hypothyroidism.htm

sábado, 3 de outubro de 2015

Miastenia e a alimentação

Manter uma dieta saudável, com frutas frescas e legumes, folhas verdes, nozes e sementes, peixes e alimentos livre de produtos químicos, é uma das melhores coisas que você pode fazer para ajudar seu corpo a obter uma saúde melhor.   

Pense fresco! Diz o Dr. Andrew Weil Thomas, um médico de saúde holística, os pacientes que sofrem de miastenia gravis (e todas as outras doenças autoimunes) devem comer uma dieta cheia de frutas orgânicas frescas e legumes.

Nutrir seu corpo com alimentos crus, naturais é crucial para pacientes com miastenia gravis. Estes incluem uma grande variedade de recursos naturais, não transformados, livre de produtos químicos, alimentos sem conservantes livre de hormônio.

Dr. Weil também recomenda eliminar óleos poli-insaturados vegetal, margarina, gordura vegetal, todos os óleos parcialmente hidrogenados e alimentos fritos, que podem conter ácidos graxos. "Use azeite de oliva extra virgem como sua gordura principal. Reduzir o consumo de proteína de 10 por cento do total de calorias; substituir proteínas animais, tanto quanto possível com a proteína de planta. Eliminar o leite e produtos lácteos (de substituição de outras fontes de cálcio) ".

É aconselhado aos pacientes com miastenia gravis comer alimentos ricos em potássio, como laranjas, tomates, damascos e seus sucos, banana e brócolis que, junto com o descanso adequado, pode ajudar a controlar o cansaço.
Ø  Reduza a ingestão de alimentos enlatados para eliminar o excesso de sódio.
Ø  Aumente a ingestão de ácidos graxos ômega-3.
Ø  Tomar gengibre (pode ser em cápsula duas vezes por dia).

PROTEÍNA - Feijão preto, grão de bico, peixes, ovos, frango, peru, amêndoas cruas, sementes de girassol, nozes.

LEGUMES / ERVAS - Couve, espinafre, alfaces, agrião, pepino, cebolas, alho, coentro, salsa, gengibre, tomates, abobrinha, vegetais de raiz (beterraba, cenoura, nabo, batata doce).

CONDIMENTOS / AROMAS - azeite extra virgem, óleo de coco extra-virgem, pimenta, curcuma, canela, vinagre de maçã

FRUTAS - Limões, manga, mamão, maçãs, bananas, nectarinas, pêssegos, abacate, melões, abacaxi.

BEBIDAS - Água de coco, chás (sem açúcar ou use estiévia se você deve), leite de amêndoa

EXTRAS - A semente de linho, sementes de cânhamo, semente de chia, goji berries, cacau em pó

Alimentos a evitar:
Evite "coisas" brancas (na maioria, alimentos refinados, doces e produtos embalados, açúcar refinado), álcool, comida rápida (enlatados, embutidos), comida frita, junk food (lanches, salgadinhos), refrigerantes.

Para reduzir a fadiga:
Coma várias pequenas refeições durante o dia.
Cortar ou picar alimentos sólidos.
Faça sua refeição mais farta no início do dia, quando você tem mais energia.
Tomar medicação anticolinesterase (por exemplo, Mestinon) pouco antes das refeições.

FIQUE ATENTO!
Líquidos quentes, como café, chá ou sopa, pode relaxar os músculos da deglutição. Se você está tendo problemas para engolir, tente evita-los. Se você perceber que é incapaz de engolir, cuspa. Um pouco de vergonha é melhor do que asfixia.

Algumas ideias se você tem dificulta de engolir, para reduzir resíduo em sua garganta:
Umedeça os alimentos sólidos com molho.
Escolha frango ou peixe em vez de carnes mais duras.
Evite alimentos quebradiço e seco tal como bolachas, arroz, biscoitos, nozes, batatas fritas ou pipoca.
Evite produtos de panificação, tais como sanduíches e muffins.

Mantenha sua cabeça em uma posição diferente para tentar facilitar a descida da comida.




Referencias:



sábado, 4 de julho de 2015

Miastenia - Uma das Maravilhas de ser eu


MG é uma doença difícil, todos os dias cansaço, alguns dias muito cansaço, seguido de dor, dificuldade para andar, para respirar. Às vezes é difícil falar, às vezes é difícil enxergar, às vezes a dor de cabeça é tão insuportável que é difícil até pensar, mastigar algumas vezes pode ser uma tarefa árdua, e depois vem à dificuldade de engolir, são tantas coisas que da para ficar horas detalhando o que sofre um miastênico, mas nada disso machuca tanto quanto o olhar de preconceito, a falta de apoio, a incompreensão. É engraçado como as pessoas podem machucar mais que uma doença grave, rara e severa.
Intolerância, preconceito e o que as vezes é pior, o desprezo, você é deixado para trás como um trapo velho, porque você esta doente, porque esta cansado demais para sair e se divertir, por que engordou ou inchou e esta mais feio, porque é preguiçoso e não luta contra a doença, porque é um peso para carregar, ou porque pura e simplesmente,  as pessoas estão sempre pensando demais nelas mesmas para olhar para o lado. Porque, é mais fácil pensar no que eu não tenho, do que pensar que a pessoa próxima a mim precisa de um pouco mais, um pouco mais de atenção, um pouco mais de carinho, um braço de apoio para subir uma escada ou um simples pentear de cabelo.

Me assusta e me dói a maldade das pessoas, o egoísmo,  as pessoas andam tão envolvidas no seu próprio eu que ..., eu, só posso sentir muito.

sábado, 13 de junho de 2015

Miastênicos - Somos Guerreiros

Conviver com uma doença de características tão complexas não é tarefa fácil. 
Existem altos e baixos, medo, raiva, tristezas. 
Corpo e mente, as vezes um está bem e o outro está mal, as vezes os dois estão bem, as vezes os dois estão mal.
Existem os AAs, e nós somos os MGs
Vivendo sempre um dia de cada vez!


sábado, 16 de maio de 2015

Ser Feliz não é ter uma vida perfeita...

...Que você seja alegre, mesmo quando vier a chorar
Que você tenha sempre esperança, mesmo quando o sol não nascer
Que você jamais deixe de sonhar, mesmo quando vier a fracassar
Que você não desista de caminhar, mesmo quando errar
Ser Feliz não é ter uma vida perfeita, é usar os erros para ser sábio e aprender a caminhar...

video

sábado, 18 de abril de 2015

Miastenia Gravis - Tratamento Plasmaferese


Em grego a palavra férese é derivada de um termo que significa "remover uma parte de seu todo". Plasmaferese é uma técnica utilizada para fazer a separação entre o plasma e os outros elementos do sangue. A indicação mais comum é para remoção de anticorpos e complexos auto-imunes.

Este procedimento é feito por meio de um acesso venoso (punção ou cateter), sendo adicionado, anticoagulante para prevenir a coagulação do sangue. Certa quantidade de sangue é aspirada para um compartimento no equipamento responsável por realizar a plasmaferese (máquina semelhante a da hemodiálise). O sangue é centrifugado e o plasma é direcionado para uma bolsa de plástico, enquanto os outros componentes sanguíneos retornam ao paciente, através de outra agulha ou outra via do cateter. O plasma removido é reposto por outro, em igual quantidade, com uso de máquina.

Na miastenia grave, o sistema imune produz anticorpos que atacam os receptores da junção neuromuscular. Os receptores lesados recebem o sinal nervoso através da ação da acetilcolina, uma substância química que transmite o impulso nervoso. A troca de dois volumes plasmáticos, por plasrnaferese, permite a retirada de aproximadamente 88% do anticorpo anti-receptor do setor intravascular. Ao fim de cerca de 36 horas estabelece-se novo equilíbrio entre os setores intra e extravascular. Fazendo três sessões em dias alternados, é possível manter eliminação de, em média, 83% do anticorpo anti-receptor.

No caso dos miastênicos a plasmaférese é recomendada para estabilizar um paciente com o quadro grave, como preparatória para timectomia ou para complementar o tratamento de um paciente que não tem a doença controlada.

Complicações

Apesar de a plasmaférese ser útil não é isenta de riscos e complicações.
·      Existe a possibilidade de sangramentos e infecções no local da punção ou dos cateteres venosos.
·      Há uma redução do cálcio no sangue devido ao uso de citrato de sódio. A hipocalcemia pode causar complicações graves, como a parada cardíaca.
·      Hemorragias ou hematomas nos locais de perfuração da agulha.




sábado, 7 de março de 2015

Dor e desconforto nos pacientes de Miastenia Gravis

Foi relatada na Semana de Biotecnologia (1 de dezembro de 2004) que uma percentagem significativa de pacientes com MG sentem dor como um "resultado" da sua doença.

A dor associada com miastenia gravis (MG) tem recebido pouca atenção. A pesquisa seguinte implicou uma revisão da literatura de 174 casos publicados. Os estudos que foram analisados para a inserção de "dor" na descrição dos sintomas. Dos 174 estudos de casos, 26% relataram sintomas relacionados à dor.

Os pesquisadores Dr. Milind Kothari, e Dr. Kevin Scott, disseram ficar surpresos com "um grande número de entrevistados/pacientes, que relatam sentir dor associada a doença... É muito surpreendente ... Ficamos surpresos ao ver que 50% dos pacientes relatam ter dor significativa como resultado de sua doença, com mais de um relato por trimestre de dor com  intensidade moderada ou superior.

A dor não é comumente associada com esta doença. O aspecto surpreendente dos resultados da pesquisa, é que os médicos dos pacientes em geral, não estão cientes de que seus pacientes sentem dor e, a falta de consciência do médico sobre a dor do paciente resulta em fracasso para tratar a mesma."
Além disso, estudos utilizando o SF-36, uma ferramenta de medição utilizada para avaliar o impacto da doença, indicam que a dor física tem um impacto negativo sobre o humor e qualidade de vida em pacientes com MG.

Quanto mais avançada estiver a MG, conforme indicado pela escala de Osserman (Veja a tabela),  mais provável é que a dor irá interferir com a qualidade de vida do paciente.
Estudos de casos MG mencionam desconforto e dor e, no entanto, a dor não é rotineiramente abordada por profissionais de saúde que cuidam dos pacientes com MG, o que prejudica o tratamento e as vezes até mesmo o diagnóstico.

DEPOIMENTOS

"Eu acabo de confirmar que eu tenho miastenia grave (MG). Tudo começou com uma tampa olho direito caídas. Eu também ficava extremamente cansado. Eu tive um pouco de dor no braço esquerdo por vários meses antes da queda da pálpebra! Estou agora em Mestinon e estou lidando com os efeitos colaterais!"

"Minha mãe foi diagnosticada com miastenia grave com a idade de 73. Ele progrediu de ocular para geral. Ela esta muito fraca. Ela tem dor o tempo todo".  

"Quando fui diagnosticado com miastenia grave, eu tinha visão dupla no olho esquerdo. Cinco anos mais tarde, eu ainda tenho problemas de visão, mas sinto que eu tenho mais dor em meus braços do que fraqueza. Eu tomo minha medicação todos os dias, mas ultimamente, a minha visão parece estar piorando".



Referencias: Mestrado em Enfermagem Universidade do Estado de WASHINGTON (Angelia Homer 2007); site: http://www.newswise.com/
Depoimentos da net

sábado, 14 de fevereiro de 2015

Miastenico cara de Trakinas

Tomando corticoide você da adeus as rugas e ola para o rostro trakinas.

A prednisona e os corticoides em geral são drogas que conseguem modular processos inflamatórios e imunológicos do nosso organismo, tornando-se extremamente úteis em uma infinidade de doenças. Qualquer doença de origem alérgica, inflamatória ou autoimune pode ser tratada com algum desses corticoides.

O cortisol é um hormônio de estresse. Ele recebe esse nome, pois sua produção eleva-se toda vez que o nosso organismo encontra-se sob estresse físico, como nos casos de traumatismos, infecções ou cirurgias. O cortisol aumenta a disponibilidade de glicose e energia, eleva a pressão arterial, aumenta o tônus cardíaco e prepara o organismo para sofrer e combater insultos.



Corticoide pode ser usado nas seguintes doenças:
Asma      Esclerose múltipla      Lúpus     Artrite reumatoide
Gota       Edema cerebral          Vitiligo   Rinite alérgica
Psoríase   Leucemias e linfomas          
Miastenia Gravis

Apesar de ser um medicamento eficaz contra várias doenças graves, os corticoides apresentam alguns efeitos colaterais.  
EFEITOS COLATERAIS DA PREDNISONA E DOS CORTICOIDES EM GERAL
Os corticoides apresentam efeitos colaterais diferentes e às vezes sérios, tais como:
* Inchaço                                                                 * Síndrome de Cushing
* Osteoporose                                                          * Catarata
* Trombose                                                              * Úlceras
* Psicopatias                                                            * Distúrbios do humor
* Insuficiência da glândula suprarrenal                   * Hipertensão arterial (pressão alta)
* Hiperglicemia (aumento dos níveis de glicose no sangue)

Por isso, só devem ser administrados por um médico experiente. Além disso, nem todas as pessoas podem tomar corticoides. Em alguns indivíduos estes medicamentos devem ser evitados ou usados com muita cautela.

Um sinal típico da toxicidade pelos corticoide é o desenvolvimento da aparência “cushingóide”, que se caracteriza por um face arredondada (chamada de fácies em lua ou cara de trakinas), pelo acúmulo de gordura na região posterior do pescoço e das costas e pela distribuição irregular da gordura corporal, com predomínio na região abdominal e tronco.

Este efeito colateral é um dos mais incômodos, pois ele muda muito a aparência do paciente, principalmente nas pessoas que eram previamente magras.

sábado, 18 de outubro de 2014

O calor e a Miastenia

O excesso de calor é dos fatores que podem desencadear um surto miastênico, ou agravar o quadro já instalado.


The intense heat is a factor that may cause a myasthenic outbreak or worsen the current  situation 

Picture: Myasthenic in the heat


segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Miastenia: Eu sou da turma do D

 
Hoje me sinto como se carregasse todo o peso do mundo em minhas costas, estou tão cansada, meus olhos ardem e é difícil mante-los abertos. O corpo esta pedindo cama, e a parte irônica é que hoje eu levantei na maior disposição antes do relógio tocar.
É engraçado como em um momento estou bem e no outro estou muito mal, isso por vezes me deixa triste e melancólica.

Mesmo quando estou bem, é sempre difícil subir uma escada, andar mais rápido, quando não é o corpo que não responde é a respiração que não atende.

Tenho que me policiar para não ficar reclamando, primeiro porque se eu for me queixar quando estiver mal, vou me queixar todos os dias, segundo porque apesar dos meus problemas não posso reclamar da vida, já que Deus é tão generoso comigo.

Por mais difícil que seja ainda posso andar, e até mesmo correr de vez em quando, ainda posso falar, mesmo que com rouquidão, respiro sozinha, mesmo que as vezes seja difícil, e graças ao bom Deus consigo engolir sem dificuldade.

Antes eu era da turma do D porque meu nome e das minhas duas irmãs começam com D, agora eu sou parte da outra turma D, o D de disfagia, disartria, dispneia, disfonia, mas felizmente não estou na turma da diplopia. E ainda tem as amigas Ptose e Claudicação Mandibular, espero que a turma não cresça mais, pra mim já esta de bom tamanho.
E assim como diz a música - “Vou levando a vida e a vida me levando”, Deus vai me dando forças para seguir em frente e sempre me estende a mão quando os problemas tentam me impedir de prosseguir.

Quando sinto muita dor e fico muito triste eu lembro que tenho um filho saudável, que minha família esta em paz, e que infelizmente nesse mundo muita gente não pode dizer a mesma coisa.

Por mais difícil que seja a vida é sempre importante lembra da música que diz  – “Viver e não ter a vergonha de ser feliz, cantar a beleza de ser uma eterno aprendiz, eu sei que a vida devia ser bem melhor e será, mas isso não impede que eu repita, é bonita, é bonita e é bonita”.

DG

O QUE É: Disfagia, disartria, disfonia, dispneia e diplopia

domingo, 17 de agosto de 2014

Manifestações da Miastenia Gravis

Manifestações da Miastenia Gravis em pacientes atendidos no hospital universitário da Universidade Federal de Santa Catarina entre os anos de 1996 e 2007.


Paresia disfunção ou interrupção dos movimentos de membros: superiores, inferiores ou ambos, o movimento fica limitado ou fraco.

disfagia é uma alteração na deglutição, no ato de engolir alimentos ou saliva. Ocorre um desvio do alimento/saliva, obstruindo parcialmente ou completamente as vias respiratórias.

Disartria é má coordenação dos músculos da fala, um distúrbio caracterizado pela incapacidade de articular palavras de maneira correta.

dispnéia, ou falta de ar, é um sintoma no qual a pessoa tem dificuldade na respiração ou desconforto ao respirar. 

Diplopia – visão dupla, - é a percepção de duas imagens ou da imagem borrada.

Disfonia é toda e qualquer dificuldade na emissão vocal: dificuldade em manter a voz, cansaço ao falar, rouquidão e pouca resistência ao falar, entre outras.

ptose palpebral também chamada de blefaroptose é a queda da pálpebra superior.

claudicação da mandíbula se caracteriza por dificuldade para mastigar, fadiga e dor na região da mandíbula ao mastigar.