Passei mal e fui ao médico, disse a ele sou miastênica, ele respondeu: O QUE É ISSO?


sábado, 10 de outubro de 2015

Baixo nível de vitamina D pode contribui para problemas de tireoide

Os corticoides diminuem a absorção intestinal de cálcio e aumenta a excreção renal de cálcio, ou seja, todos os corticoides aumentam a perda de cálcio.


O colecalciferol (vitamina D) que produzimos na pele, é distribuído pelo sangue para todas as células do corpo, tem diversas propriedades, é fundamental para a saúde dos ossos, mas também age no coração e cérebro. Além disso, é eficaz no fortalecimento do sistema de defesa do organismo, auxiliando no combate de doenças, pois tem o poder de modular o sistema imunológico.


Pesquisadores da UCLA (University of California, Los Angeles)  tentaram mostrar que a baixa vitamina D faria um problema auto-imune da tireoide piorar. Fizeram um experimento que foi baseado na ideia de que a vitamina D tem um efeito atenuante sobre uma resposta imune excessiva e inadequada em muitas áreas do seu corpo.  Em primeiro lugar, descobriu-se que a falta de vitamina D contribui para a possibilidade de hipotireoidismo. Em segundo lugar, que muitas substâncias são susceptíveis de agravar a tireoide, principalmente, se há a falta de vitamina D. Por exemplo, muitos irritantes químicos no ambiente irritam a glândula tireoide, como perclorato e flúor. Os que tem falta de vitamina D são mais propensos a ser afetados negativamente por eles.
Isto pode ser parte da razão por que tantas pessoas se sentem metabolicamente pior e ganham peso nos meses de inverno com menos sol (o sol produz vitamina D).  

Vários estudos estabeleceram uma relação entre baixos níveis de vitamina D e doenças autoimunes da tireoide. Um estudo foi publicado na revista Cellular & Molecular Immunology em 2011.
Nesse estudo, os pesquisadores recrutaram 50 pacientes com distúrbios da tireoide auto-imune (principalmente tiroidite de Hashimoto), 42 pacientes com distúrbios da tireoide não auto-imunes e 98 indivíduos saudáveis. Para cada um destes participantes, os pesquisadores mediram os níveis de vitamina D no soro, os níveis de anticorpos antitireoidianos e funções da tireoide.
Os resultados deste estudo mostraram que a deficiência de vitamina D foi mais comum em pacientes com desordens autoimunes da tireoide (quase 3 vezes mais comum). Mesmo que está deficiência fosse também comum entre os pacientes que sofrem de distúrbios da tiroide não auto-imunes, a prevalência foi menor do que no grupo de pacientes com distúrbios da tiroide auto-imunes.
Além disso, a deficiência de vitamina D também foi fortemente correlacionada com anticorpos antitireoidianos e funções pobres da tireoide.

Os resultados deste estudo indicam que:
  • Baixos níveis de vitamina D pode causar distúrbios da tireoide especialmente desordens autoimunes da tireoide.
  • Os baixos níveis de vitamina D aumenta a quantidade de anticorpos antitroide libertados no corpo. Por conseguinte, a vitamina D suprime a produção de anticorpos que podem atacar a glândula da tiroide e reduzir as funções da tiroide.
A vitamina D é produzida pela pele quando exposta a luz solar. A exposição à luz solar natural é a estratégia mais simples e mais fácil para obter a vitamina D, de uma forma mais pobre também é possível obter a vitamina através da alimentação (fígado, ovos, salmão, sardinha, shitake, óleos de peixe, leite e seus derivados), através de suplementos de vitamina D (contidos em alguns alimentos como leite, soja, sucos, cereais) mas principalmente através da exposição ao sol, pois, os raios penetram na pele formando a vitamina D3.

Tome o sol até às 10 horas da manhã e após às 16 horas, 15 minutos por dia já é suficiente e SEM protetor solar. O sol tem que incidir diretamente na pele. 
Com 15/20 minutos por dia é possível produzir até 10 mil UI, coisa que nenhum alimento é capaz de fazer.

ENTENDA MAIS SOBRE A TIREOIDE

Localizada na base da garganta, a glândula da tiroide em forma de borboleta ajuda a manter o equilíbrio global do corpo. Seus hormônios afetam muitos sistemas e funções, incluindo:
  • Metabolismo
  • O desenvolvimento do cérebro
  • Respiração, coração e função do sistema nervoso
  • A produção de glóbulos
  • A força muscular e óssea
  • Temperatura corporal
  • Os ciclos menstruais
  • O ganho de peso e perda
  • Os níveis de colesterol
  • Hidratação da pele
A tireoide ajuda a determinar como metabolizar comida, como armazenar e utilizar a energia, como pensar, falar, dormir e muito mais! Portanto, faz sentido que, quando sua tireoide não está funcionando corretamente, sua vida pode parecer significativamente fora de ordem.
O processo de conversão de hormônio da tiroide é uma série de eventos. Quando estão baixos na corrente sanguínea, a parte do cérebro conhecida como hipotálamo, envia uma mensagem para a glândula pituitária, a glândula pituitária interpreta a mensagem e pede a glândula tiroide para produzir mais hormônios, quando os hormônios da tireoide estão muito altos, os sinais do hipotálamo e da hipófise tornam-se muito mais silenciosos até que seus hormônios da tireoide fiquem equilíbrio novamente.

As principais causas de hipotireoidismo e hipertireoidismo são as doenças autoimunes (aquelas em que o organismo indevidamente produz anticorpos conta ele mesmo.
O hipertireoidismo é um problema no qual a glândula da tireoide produz hormônios em excesso. Aqui a glândula é hiperativa, ou seja, trabalha em excesso.

O desencadeamento do hipertireoidismo pode ocorrer devido ao excesso de iodo que pode estar presente em alguns medicamentos, ao surgimento de nódulos na glândula, ao funcionamento mais acelerado da tireoide ou à ingestão dos hormônios da tireoide. Nervosismo, ansiedade e irritação, assim como mãos trêmulas e sudoréticas podem ocorrer em pessoas com hipertireoidismo. A função da tireoide baixa, ou hipotireoidismo, é a forma mais comum de desequilíbrio da tireoide. Os sintomas podem incluir fadiga, falta de concentração, constipação, ganho de peso, problemas de pele, seca, áspera, queda de cabelo e até mesmo depressão.

Quando seus hormônios da tireoide são muito baixos para apoiar suas atividades diárias, ela é conhecida como hipotireoidismo. Hipotireoidismo pode causar fadiga severa e perda de energia, pele seca, as mudanças de cabelo, inchaço geral, constipação, intolerância ao frio, e muito mais. Ele também pode aumentar os níveis de colesterol e agravar problemas como PMS, irregularidades menstruais, e seios fibrocística.

Um dos problemas mais frequentes da tireoide são os nódulos, que não apresentam sintomas. Estima-se que 60% da população brasileira tenha nódulos na tireoide em algum momento da vida. O que não significa que sejam malignos. Apenas 5% dos nódulos são cancerosos. O reconhecimento deste nódulo precocemente pode salvar a vida da pessoa e a palpação da tireoide é fundamental para isso. Este exame é simples, fácil de ser feito e pode mudar a história de uma pessoa. Uma vez identificado o nódulo, o endocrinologista solicitará uma série de exames complementares para confirmar a presença ou não do câncer.

Hipercalcemia

A hipercalcemia é a alta concentração de cálcio no sangue. Os sintomas aparecem lentamente como urinar demais, ter muita sede, enjoos, falta de apetite e o intestino preso. Em casos severos, o problema também acarreta fraqueza muscular, hipertensão e afeta o sistema neurológico, dificultando a concentração e causando confusão mental.

Por isso é sempre muito importante, não se auto medicar, consulte um médico antes de iniciar a ingestão de qualquer medicamento ou suplemento alimentar.



Referências: 

http://www.wellnessresources.com/health/articles/low_vitamin_d_contributes_to_thyroid_problems/
http://www.progressivehealth.com/the-role-of-vitamin-d-in-hypothyroidism.htm

8 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Esse blog tem me ajudado muito.. Obrigada!
    Descobri que tenho MG em setembro mas há 3 anos os sintomas começaram. Estou tentando me adaptar a isso. É difícil, mas com a ajuda da família sigo em frente. Muitas coisas aprendi lendo o blog.
    Mais uma vez obrigada e que Deus te abençoe!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Olá Arleici, fico feliz que o blog tenha te ajudado, foi justamente para isso que ele foi criado, quando descobri a doença há 8 anos não tinha muita informação, me assustei quando percebi que alguns médicos também não tinham muito conhecimento sobre a doença, entre idas e vindas ao médico e muitos sintomas resolvi criar o blog.
    Que Deus nos abençoe e nos de força e sabedoria para lidar com essa doença.
    Beijo e Boa Sorte!!

    ResponderExcluir
  6. Alguém de vcs com miastenia está fazendo o tratamento com altas doses de vitamina D...???

    ResponderExcluir
  7. Alguém de vcs com miastenia está fazendo o tratamento com altas doses de vitamina D...???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esrtou interessada em faser altas doses de vitamina D;

      Excluir